terça-feira, 3 de janeiro de 2012

XZXZXZXZXZXZXZXZXZXXZX

Restos de ontem
estão postos à mesa
servindo saudade
como entrada...
Frações do passado
atormentam, ferem
como o aço
do punhalde Fagner...
Porções de outrora
me invadem a alma
como o oceano de Dija
e eu dou meu
grito de alerta de Bethânia...
Ufa! Tanta coisa,
tantos versos,
tantos sonhos
DISPERSOS.
Ufa! Tanta história
jogada fora...
Tanta dor de saudade e de amor.
A mesa farta já não basta.
Viver é URGENTE e NECESSÁRIO.
(assim me fez ver o poeta)

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

No ano novo: VIDA NOVA.

Enfim terminara 2011
- o ano de tantas dores,
tantas mágoas,
tantos dissabores...
Um ano que marcou
tatuando na pela um cicatriz
que desenhada na alma
sangrou em mim.
Enfim começara 2012
- o ano da renovação,
das mudanças importantes,
dos sonhos realizados
e do amor que é SALVAÇÃO.
Obrigada Senhor!
Pelo novo tempo,
pela esperança,
pelos meus amores
(que são tantos),
pelos destinos novas,
pelas malas prontas...
A viagem continua
e eu?
Ancorada num porto imaginário
que desenhei no meio da rua.

(é tempo novo de novo)
ra recomeçar

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

O afeto






Tantas vezes na vida carecemos de afeto, de colo, de ombro, de escuta... Nessas horas, muitas vezes é que realmente colocamos os pés no duro chão da realidade que temos...Quando o que nos fere são os espinhos cravados no coração e na alma.
Eu, que já fui sem rumo, sem norte, sem sexo, sem amor, sem sorte...
Sou hoje espaço, vazio, regato, curva no meio da caminho, cheiro de flor, sou espinho...
E por isso a bagagem pesa, fere, lesa, porém, viver é APOSTAR, sem medo de perder, sem ânsia de ganhar. APOSTAR!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Retalhos e remendos

Ando a costurar a vida
remendando passagens
emoldurando antigas linhas...
Nos meus retalhos
uma mistura de ser e não ser
de rir e chorar
de amar e esquecer...
Minhas dualidades me amedrontam
hoje remendo a vida
amanhã rasgo-a sem só nem piedade
e assim uma nova peça se refaz. Sempre!